O chakra sexual é o segundo chakra dos nossos 7 principais. Ele representa a natureza da dualidade. Está relacionado ao sistema yin e yang e ao fluxo de energia vital. Está conectado a região do quadril e da pélvis. Está relacionado ao prazer e aos desejos, um sentimento que facilmente o bloqueia é a culpa.

Este chakra abriga as emoções desenvolvidas nos relacionamentos consigo mesmo e com os outros. É tido como o centro da criatividade, dos dons e com a geração de ideias, plenos e até mesmo da vida. Já que é a partir dos órgãos sexuais que se dá origem a vida e no útero uma nova vida se desenvolve.

Conheça mais sobre as características desse chakra abaixo. 

Principais características do chakra sexual

  • Localização: a cerca de dois dedos abaixo do umbigo.
  • Nome em sânscrito: Svadhisthana, que significa o nosso próprio lugar e também denota a “cidade do prazer”
  • Glândula relacionada: glândulas sexuais: ovários e testículos
  • Cor: laranja.
  • Mantra: VAM (para ouvir o mantra clique aqui)
  • Elemento: água
  • Pedra: ágata cornalina
  • Óleos essenciais:  Tangerina e yalan ylang

Propósito x desafio

Do ponto de vista da espiritualidade, cada chakra possui um propósito e desafios que devemos vencer em nossa jornada de vida.  O principal propósito do chakra sexual é expansão, criação, conexão e criação de laços com outros seres humanos.

Os principais desafios são vencer a culpa, se perdoar e aprender a desfrutar dos prazeres da vida com discernimento e equilíbrio

Chakra em equilíbrio x em desequilíbrio

  • Em equilíbrio: aceitação incondicional, amor próprio, sentimento de segurança para união com o próximo e encanto espontâneo com os próprios feitos criativos.
  • Em desequilíbrio: problemas ligados à sexualidade, prisão de ventre ou diarreia, problemas uterinos, da bexiga e renais.

 Além disso, quando em desequilíbrio, são observados alguns padrões de comportamento, sentimento e de pensamento:

  • Há manipulação nos relacionamentos e a pessoa pode ser dominadora ou submissa.
  • Aversões sexual e falta de líbido
  • Medo do parto e ou sentimento de culpa com relação à criação dos filhos
  • Desvalorização de si mesmo como resultado de pouco ou mínimo poder econômico, situações de dependência financeira extrema.
  • Sentimentos de menos-valia e vitimização
  • Prática de relações interpessoais desonestas